Agitação e Mistura: Dimensionamento e Cálculos

A importância do Processo de Agitação e Mistura

A eficiência dos processos de mistura e agitação desempenha um papel crucial em inúmeras indústrias, desde a produção química e farmacêutica até a fabricação de alimentos e bebidas. Compreender os princípios fundamentais que regem o movimento dos fluidos e a interação entre os agitadores e o meio é essencial para o projeto e operação eficazes de sistemas de agitação industrial.

Neste contexto, exploraremos neste artigo os elementos fundamentais que regem a agitação e mistura em tanques industriais. Desde a análise de equações energéticas até a consideração de números adimensionais essenciais, nosso objetivo é oferecer uma visão detalhada dos fatores que influenciam diretamente a eficácia dos agitadores. Exploraremos como os números de Reynolds, Froude e Potência, entre outros, desempenham um papel crucial na compreensão do comportamento do sistema e na otimização dos processos de agitação sob diversas condições e aplicações industriais.

Ao abordar desde equações fundamentais até a aplicação prática de conceitos como número de impelidores e fatores de correção, buscamos fornecer uma base sólida para a compreensão e o dimensionamento precisos dos agitadores. A compreensão desses aspectos não apenas melhora a eficiência operacional, mas também impacta diretamente na economia de energia e na qualidade do produto final.

Por meio da exploração detalhada desses conceitos e relações, buscamos contribuir para um conhecimento aprofundado e prático, essencial para engenheiros, estudantes e profissionais envolvidos no design, operação e otimização de sistemas de agitação industrial. A análise de elementos como números adimensionais, relações de tanques padrões e fatores de correção é crucial para garantir um projeto bem-sucedido e operações otimizadas em ambientes industriais diversos e exigentes.

Princípios Fundamentais e Equações Energéticas na Agitação Industrial

O movimento no interior de um agitador, com escoamento horizontal e circular, retorna ao ponto de partida após um determinado período. A equação de energia pode ser equiparada àquela aplicada em bombas.

Ao considerar os seguintes componentes:

Z1​=Z2​ (altura)

P1​=P2​ (pressão)

U1​=U2​ (velocidade)

Hl​= perda de carga

W= potência

Durante a circulação no tanque, o fluido parte de um ponto inicial, circula no tanque e retorna ao campo inicial. O campo inicial e final possui a mesma velocidade, altura e pressão. Para determinar a potência, é necessário calcular a perda de carga:

Hl​ = kf ​⋅ U2259

Ao reescrever a equação em termos de potência útil (Wu​), podemos multiplicá-la pela vazão mássica do fluido (Ai​), onde Ai​ é a área do impelidor, dependendo do diâmetro do impelidor. Considerando que a velocidade é proporcional tanto ao diâmetro quanto à rotação (N) do impelidor, o número de potência se assemelha ao fator de atrito e coeficiente de perda de carga localizado, representando o efeito do atrito decorrente do nível de agitação do fluido.

Uma analogia ao diagrama de Moody, o número de Reynolds, é um diagrama que determina números de potência para diversos impelidores do tipo turbina em função do número de Reynolds, indicando regimes de escoamento. Reynolds alto (< 10) representa escoamento turbulento, enquanto Reynolds baixo (> 10⁴) representa escoamento laminar. O nível de agitação é definido pela relação Vl​ em relação ao tempo de mistura, a ser definidos nos números adimensionais, considerando a vazão volumétrica de bombeamento. Onde Nq​ é o número de bombeamento.

O volume agitado depende do tipo de impelidor, e o nível de agitação é definido pela relação.

Agitação e Mistura

Taxa de Bombeamento, Número de Froude, Número de Mistura e Número de Potência

A taxa de bombeamento do impelidor (Q): Representa o volume escoado por área de impelidor e por unidade de tempo, é influenciada pela velocidade de rotação e tamanho do impelidor. A capacidade de bombeamento varia entre impelidores com diferentes geometrias de tanques.

Na circulação em tanques com agitação, é definida pelo volume de fluido deslocado por uma rota por unidade de tempo.

Número de Froude: O número de Froude é incorporado para considerar forças gravitacionais e os efeitos da superfície livre no número de potência. Esse número é incluído em correlações de Re (Número de Reynolds) e Po (Número de Potência) em sistemas sem chicanas. O efeito do número de Froude torna-se evidente com a formação de vórtices para valores de Re acima de 300. Em sistemas sem vórtices (por exemplo, devido à introdução de chicanas) ou para Re < 300, o número de Froude não se manifestará como um fator significativo.

Número de Mistura: É o produto da velocidade de rotação (N) e o tempo de mistura. Essa medida indica o tempo necessário para misturar líquidos miscíveis ao longo do volume do tanque agitado. Se o número de mistura for constante, o tempo é inversamente proporcional à velocidade de rotação impelida. Os números de misturadores também podem estar relacionados ao número de Reynolds.

Número de Potência: O número de potência representa a potência transferida para o fluido durante o processo de agitação. O cálculo dessa potência é realizado de várias maneiras e depende do processo, do regime de escoamento e das propriedades do fluido. Para o caso de escoamento turbulento em um sistema homogêneo, a estimativa da potência é feita por meio de análise dimensional e medidas experimentais do torque.

Relações Adimensionais

Re (Número de Reynolds): Relação do esforço de inércia (força aplicada) sobre a força viscosa.

Np (Número de Potência): Relação entre a força aplicada ao agitador e a força inercial.

Fr (Número de Froude): Relação entre a força inercial e a força gravitacional.

Essas relações adimensionais desempenham um papel crucial na compreensão do comportamento do sistema e na otimização do processo de agitação em diferentes condições e aplicações.

agitação e mistura

H – Altura de líquido

T – Diâmetro do tanque

h – Distância entre o impelidor e o fundo do tanque

D – Diâmetro do impelidor

L – Largura da pá do impelidor

B –largura da chacina

N – Número de rotações do impelidor

Agitação e mistura

Fatores de Correção, Dimensionamento de Agitadores e Potência

Fatores de Correção e Dimensionamento: Os fatores de correção são fundamentais no dimensionamento de agitadores. Um princípio a ser considerado é que quanto maior o número de impelidores, maior será a potência necessária. O dimensionamento adequado dos agitadores é crucial para garantir eficiência operacional e desempenho otimizado do sistema.

Potência de Agitadores: A potência necessária para agitadores desempenha um papel significativo no projeto de sistemas de mistura e agitação. Essa potência é determinada pelos requisitos específicos do processo, regime de escoamento e propriedades do fluido. Uma compreensão profunda desses fatores é essencial para calcular a potência de agitadores de maneira precisa.

Número de Potência: O número de potência, que representa a potência transferida para o fluido durante a agitação, é uma medida crucial. Ele está relacionado às características do agitador, às condições do processo e à eficiência da agitação. Essa métrica adimensional ajuda a avaliar o desempenho do agitador em diferentes situações e regimes de escoamento.

Números Adimensionais e Relação de Tanques Padrões

Números Adimensionais: Além do número de potência, outros números adimensionais, como o número de Reynolds (Re), o número de Froude (Fr), e o número de mistura, são essenciais para compreender o comportamento do sistema e otimizar as operações de agitação. Esses números oferecem insights valiosos sobre a dinâmica do fluido e as interações entre o agitador e o meio.

Relação de Tanques Padrões: A relação de tanques padrões é uma consideração importante no design e na operação de tanques de agitação. Ela está relacionada à geometria e ao tamanho do tanque em relação ao agitador. Compreender e aplicar relações de tanques padrões é crucial para garantir a eficiência do processo e a homogeneidade da mistura.

Esses elementos coletivos desempenham um papel crítico na eficácia dos sistemas de agitação industrial, impactando diretamente a eficiência, economia de energia e a qualidade do produto. O dimensionamento preciso, a consideração dos números adimensionais relevantes e a compreensão das relações específicas são fundamentais para um projeto bem-sucedido e operação otimizada de agitadores.

Responsável pelo Conteúdo

WhatsApp
LinkedIn
Facebook
Email

Descubra Mais

Compartilhar esse conteúdo:

Pesquisar:

Posts Recentes:

Categorias:

Reproduzir vídeo
Kit empreendedor para fabricação de cosméticos.
Agitadores de Laboratório