O principal problema de uma fábrica de tintas no Brasil

O principal problema de uma fábrica de tintas no Brasil

O principal problema que podem comprometer a operação da sua fábrica de tintas no Brasil
Erros que podem fechar sua fábrica de tintas imobiliárias

 

O principal problema de uma fábrica de tintas no Brasil.

Fabricar e produzir tintas em diversas cores e tipos não é difícil. Não há segredo industrial, tampouco pertente a um mercado com domínio sensível. A produção de uma fábrica de tintas no Brasil inicia com a reunião de matérias primas essenciais, como: pigmentos, veículo fixo (óleos e resinas), solventes e aditivos. O processo de mistura é bastante elementar, pode ser encontrado com muita facilidade em um equipamento rudimentar (disco híbrido ).

As etapas de produção de uma fábrica de tintas no Brasil são comumente conhecidas como: mistura, dispersão, pré-moagem, diluição, filtração e envase. Todas podem ser realizadas com apenas dois equipamentos básicos. Um tanque misturador (lista de fábricas de misturadores) com qualquer capacidade de armazenamento e um dispositivo de envase rápido.

À princípio pareçe uma tarefa complexa fabricar tinta no Brasil, entretanto, com o tempo você perceberá que não é difícil (principais matérias-primas). É praticamente uma receita de bolo simples, só precisa seguir à risca. O que determina se a tinta terá boa qualidade será listar positivamente nos seguintes tópicos: estabilidade; facilidade de aplicação; poder cobertura; resistência à intempéries.

Seguindo os passos de fabricação corretamente, você possuirá uma fábrica de tintas ativa e em pleno vapor. Estará qualificado para sair vendendo suas linhas em todas as lojas de matérias de construção, home-centers, mercados, construtoras e na internet.

Atendemos mais de 700 fábricas de tintas no Brasil, de todos os tamanhos e diferentes tipos de atuação. Falamos diariamente com empresários que produzem tintas para artesanato, demarcação viária, base imobiliária, flexográfica, especial, industrial e automotiva. Após uma extensa análise a 6 mãos, destacarei neste artigo o principal problema de uma fábrica de tintas no Brasil. 

Se você tiver dúvidas técnicas, me chame no Whats: (11) 94973-8694 ou email: henrique@sohelices.com.br

Boa leitura!

Conheça nosso curso para fabricação de tintas 4.0

 

Problema 1 - Falta de administração técnica nas empresas

 

Problema 1 – Administração sem conhecimento técnico

O Brasil está entre os 5 maiores mercados mundiais de tintas. Essa posição só foi alcançada graças aos investimentos feitos pelas indústrias do setor, que apostam pesado em tecnologia de ponta, aplicação de indústria 4.0 e sustentabilidade para suprir a demanda do mercado em produtos cada vez mais competitivos.

Entretanto 90% das fábricas de tintas no Brasil trabalham em regime de PME (Pequenas e médias empresas). Possuem estrutura amadora, tem dificuldades em todos os modais da operação. Não foram planejadas para entregar o que há de melhor tanto em produto, como gestão técnica. Elas nasceram do empreendedorismo por necessidade. O mal que assola o nosso Brasil e prejudica o desenvolvimento econômico de todos os setores, sobretudo, o de fabricação de tintas imobiliárias.

 

Porque o mercado de tintas é tão predatório

Nosso país reúne uma série de fatores que acabam desestimulando o empreendedorismo. A alta burocracia, as elevadas taxas de impostos e ainda a educação estatizada, prejudicam a positividade do movimento empreendedor. O relatório do Banco Mundial que mede a facilidade em fazer negócios em 190 países, destaca que o Brasil é um dos piores países para empreender. No ranking geral, o Brasil ficou na 123ª posição.

Portanto, se você for iniciar uma fábrica de tintas, se atenha a estudar gestão técnica do negócio. Ele será vital para a multiplicação do seu equilíbrio financeiro. De acordo com o IBGE, de cada dez empresas, seis fecham antes de completar 5 anos. Em uma fábrica de tinta esse número é bastante alto também. Orbita em torno de 80%. Uma possível explicação pode ser que o setor tem menores barreiras à entrada (requisitos de capital e tecnologia são proporcionalmente menores) para o ingresso no setor e onde tende a haver maior pressão da concorrência.

Para iniciar a produção de uma fábrica de tintas no Brasil é possível com aproximadamente R$ 10.000,00. Os equipamentos são baratos, não tem tecnologia embarcada que justifique desencaixar grandes somas de investimentos. Tampouco pertence ao segmento de domínio sensível. O elevado  investimento será na aquisição de embalagens metálicas e matérias-primas (químicas).

A maior facilidade de ingresso para fabricação de tintas no Brasil, significa também, que serão infinitamente maiores as pressões da concorrência. Atividades essencialmente intensivas em mão-de-obra e que, em geral, requerem comparativamente menor nível de qualificação, tendem a ser uma opção barata para qualquer profissional sem muito estudo ou desocupado. Qualquer pessoa consegue fabricar tinta na linha base água.

 

Como evitar problemas no mercado de tintas

E é exatamente por isso que é fundamental ter conhecimento técnico em gestão. Tudo o que for necessário para você passar à frente da concorrência será com profundos conhecimentos técnicos em alta gestão. Faça diferente como a maioria das fábricas de tintas, invista em um curso técnico de gestão. Se tiver ensino superior, faça uma pós-graduação online. Existem muitas que abordarão temos que serão vitais para a sobrevivência sadia da sua fábrica.

Entretanto, essa é a parte fácil do negócio. O elemento mais difícil é obter sucesso financeiro na operação. Ter controle absoluto sobre os custos. Saber na ponta da lingua número de itens produzidos por ciclo de duração; tempo de inatividade do maquinário; horas trabalhadas na produção; índice de produtos com defeito; prazo da chegada da oferta até entrega no cliente, etc.

Além de tudo isso, é vita compreender com exatidão que problemas nos processos produtivos e na gestão impactam toda a empresa, de uma ponta a outra. Isso inclui o aumento do custo do produto final, principalmente uma fábrica de tintas imobiliárias.

A gestão de qualquer negócio é muito complexo em nosso país, e em uma fábrica de tintas imobiliárias não poderia ser diferente. Mais de 90% possue uma gestão amadora e com ausência clara de desqualificação técnica em sua operação.

 

Achar que o olho do dono engorda o gado

A ideia de que um negócio só pode ser bem gerido se o dono estiver presente a todo momento torna o empresário refém do próprio negócio. Férias, família e lazer ficam em segundo plano, e a prioridade passa a ser somente a empresa, com custos, vendas e problemas do dia-a-dia consumindo o tempo e a mente do empreendedor.

O ideal é que o empresário saiba investir em mecanismos de controle, gestão e monitoramento que permitam que a empresa sobreviva sem a sua presença. No começo do empreendimento, a dedicação do empresário vai ser intensa, mas à medida que a empresa se sofistica deve conseguir caminhar com as próprias pernas.

 

Falta de profissionalização

Certa vez, a esposa do fundador de uma empresa e gerente financeira revelou, orgulhosa, que todas as contas da empresa estavam na sua cabeça e que ela conseguia gerenciar os fluxos de pagamentos e recebimentos da companhia, que faturava mais de 40 milhões de reais ao ano, usando um caderno. Este não é o único e talvez nem seja o pior caso de falta de profissionalização em empresas de pequeno e médio porte.

A relutância em remunerar bons profissionais e de colocar em prática sistemas profissionais de gestão, o atraso no pagamento de tributos e a falta de indicadores financeiros e sistemas de informação adequados são sintomas claros de uma empresa mal administrada. Uma companhia deste tipo pode até ser bem-sucedida, mas certamente a profissionalização empresarial resultaria em uma maior probabilidade de sucesso e resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *